Abóbora não só alimenta como é benéfica para a saúde | A TARDE

Abóbora não só alimenta como é benéfica para a saúde

A abóbora (curcubita) popularmente conhecida como moranga ou jerimum, pertence a família Cucurbitaceae e é nativa das Américas sendo atualmente cultivada em grande escala aqui no Brasil. Ela pode ser consumida de diversas formas e a maioria de suas partes podem ser aproveitadas, da casca às sementes. A espécie mais consumida de abóbora é a Curcubita Maxima. Ela é rica em proteínas, vitaminas antioxidantes como os carotenóides, beta-sitosterol e os tocoferóis e, pobre em calorias e gordura. Por conta de suas propriedades nutricionais ela ajuda na prevenção de diversas doenças crônicas.

A abóbora é um alimento altamente nutritivo apresentando alguns componentes nutricionais nas sementes como as proteínas, ácidos graxos e minerais como cobre, zinco e magnésio. Seu fruto também contém carotenóides, aminoácidos essenciais e minerais. As sementes e o óleo extraído delas são utilizados por suas propriedades medicinais. Por sua alta composição de ácido oléico e linoléico reduz os níveis de LDL e colesterol e aumenta os níveis de HDL o que ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares.

O seu óleo ajuda no retardo da progressão da hipertensão, artrite, redução da pressão uretral, e dos cânceres de estômago, mama, pulmões e coloretal. O beta-caroteno presente na abóbora reduz os danos à pele causados pelo sol agindo como um antiinflamatório. Além disso, o alfa-caroteno reduz o processo de envelhecimento, o risco de desenvolvimento de catarata e previne o crescimento tumoral. A vitamina E previne contra o estresse oxidativo.

Suas sementes contém todos os aminoácidos essenciais com predominância para leucina, valina e histidina. Também apresenta quantidades de gorduras insaturadas como os ácidos palmítico, esteárico, oléico e linoléico. As vitaminas antioxidantes tem como função diminuição da peroxidação lipídica e DNA oxidativo. Dietas ricas em sementes de abóbora estão sendo relacionadas com menor risco de câncer gástrico, de mama, pulmões e coloretal.

Entretanto, o consumo de sementes da abóbora não deve ser demasiado, pois apresenta fatores anti nutricionais como o oxalato, fitato, nitrato, entre outros. Foi demonstrado que o seu valor nutricional melhora se elas forem assadas. Aumentando principalmente os esteróis e a vitamina E. Elas também são ricas em zinco, magnésio e cobre.

Bom para exercícios

A abóbora vem chamando a atenção por seus benefícios nutricionais e à saúde devido aos seus componentes obtidos de seu fruto e sementes. A energia da atividade do metabolismo muscular determina o nível de fadiga fisiológica tendo o exercício de endurance como uma importante variável em avaliar um tratamento anti fadiga. É importante analisar variáveis bioquímicas como o lactato, a amônia, a glicose e a creatina quinase (CK). Após um exercício de endurance os níveis dessas variáveis aumentam.

Fatores como consumo de ATP (energia) e deficiência energética por depleção de estoques de gordura e açúcar (glicogênio) também estão relacionados com a fadiga. Estudos com ratos relatam que o consumo de extratos do fruto da abóbora da espécie moschata aumenta, mesmo que discretamente, os estoques de glicogênio hepático melhorando o metabolismo de carboidratos sem prejudicar os tecidos musculares esqueléticos e hepáticos.

Em estudos mais recentes foi demonstrado que metabólitos secundários como o álcool dihidrodiconiferil e o gliceroglicolipídio tetrassacarídeo presentes na abóbora possuem efeitos anti lipogênicos e com atividade na diminuição da glicose. Eles afirmam que mais estudos devem ser realizados para comprovar o efeito ergogênico da abóbora.

You may also like...

Adblock
detector