Conheça os tipos de chá e os riscos e benefícios do seu consumo – A Lavoura

Conheça os tipos de chá e os riscos e benefícios do seu consumo

O frio vai se aproximando e nada melhor que um chá quente para ajudar a aquecer o corpo. A bebida também é muito recomendada pela sabedoria popular quando alguém se sente mal ou apresenta sintomas da gripe. Porém, é importante o consumo consciente

Especialistas alertam para os prejuízos à saúde causados pelo consumo excessivo de chás, principalmente aqueles que são utilizados para emagrecer. De acordo com a médica que coordena o ambulatório de hepatites do Hospital São José (HSJ), no Ceará, Elodie Bonfim Hyppolito, é preciso cautela.

“A população tem a falsa ideia de que, por ser natural, não causam danos à saúde e isso não é verdade. As pessoas acreditam que estão limpando o organismo e tomam alguns chás de forma exagerada”, ressalta a médica.

Segundo ela, o uso contínuo de alguns deles como noz-da-índia, chá verde, hibisco, pholia negra, entre outros chás para perda de peso, pode causar sérios danos ao fígado, entre eles hepatite fulminante, hepatite crônica e cirrose.

A nutricionista do Instituto de Neurociências, Samara Soares, também apresenta alguns riscos do consumo indiscriminado do chá.

“Os chás são contraindicados para pacientes com hipotireoidismo, hipertireoidismo, aqueles que são sensíveis à cafeína, os hipertensos, os portadores de gastrite ou refluxo, as gestantes, lactantes e pessoas que fazem uso de medicamentos que estimulem o sistema nervoso”.

Benefícios

Para o consumo regular de chá é importante buscar um profissional que indique o tipo mais adequado. Foto: Divulgação

Quanto aos benefícios, a nutricionista aconselha: “Ainda há controvérsia entre os estudos, no que diz respeito aos benefícios dos chás. Por isso, mais do que nunca, o ideal é que o paciente use o produto somente após uma avaliação clínica e prescrição de uma profissional”.

Entretanto, Samara lista algumas indicações: “os chás podem prevenir ou tratar algumas doenças como diabetes, aterosclerose e AVC (Acidente Vascular Cerebral). Eles também ajudam na diminuição do colesterol ruim (LDL) e doenças relacionadas com o declínio da mente como Alzheimer”.

Isso porque, segundo estudos, os chás possuem compostos polifenóis que apresentam propriedades neuroprotetora, antiflamatória e antioxidante, protegendo, também, contra vários tipos de câncer.

Dicas de preparo

É recomendável evitar os chás de saquinho e dar preferência às ervas naturais. Foto: Divulgação

Ela também ensina como preparar e consumir a bebida. “O ideal é que não se acrescente adoçante e nem açúcar. Os chá de saquinhos, encontrados em supermercados não são a versão mais recomendada, pois podem não conter as quantidades adequadas dos compostos bioativos. Além disso, não há garantia de que as composições não estejam misturadas com outro ingrediente, como o açúcar, fazendo com que não haja os efeitos benéficos à saúde”.

Segundo ela, o mais indicado são as ervas nas farmácias de manipulação ou em lojas de produtos naturais. Já em relação ao modo de preparo dos chás, a nutricionista ressalta:

“Para uma infusão adequada, a recomendação é que se coloque a água no fogo e espere formar as primeiras bolhas. Após isso, desligue o fogo, acrescente a erva e abafe por cinco minutos antes de coar”.

Tipos de chás e suas indicações

Cada tipo de chá tem uma função específica na saúde humana. Foto: Divulgação

Como visto, os chás de uma maneira geral trazem benefícios, mas o seu consumo regular deve ser prescrito por um nutricionista de acordo com o perfil de cada pessoa. Pensando nisso, a também nutricionista Adriana Lauffer classificou alguns chás de acordo com suas funções e principais indicações. Confira abaixo:

ADSTRINGENTES:
Ação cicatrizante, contraindo tecidos, combatendo moléstias inflamatórias da boca, garganta, intestinos, órgãos genitais e em casos de diarreias e hemorragias.
– eucalipto, cavalinha, maracujá, couve, cipreste, aloés ou babosa, agrimonia, carvão vegetal, bálsamo do peru, hera terrestre, cardo santo.

ANTI-REUMÁTICAS (Diminui o ácido úrico, a gota e o reumatismo):
– agrião, limão, hortelã, alecrim, cavalinha, dente de leão, chapéu de couro, cordão de frade, urtiga, chá verde e folha de abacate.

ANTISSÉPTICAS (São desinfetantes, anti-sépticas):
– arnica (infusos para bochecho), bardana, limão, malva branca.

O chá de casca de maçã é indicado para controlar a diarreia. Foto: Divulgação

ANTI-DIARREICAS (Para as evacuações freqüentes e líquidas, nos casos de diarreia):
– chá de casca de maçã, polpa de maçã, broto de goiaba, polpa de goiaba, chá de casca de romã, carvão vegetal, tanchagem, carqueja.

APERIENTES (Estimulam o apetite):
– alecrim, agrião, camomila, melissa, água de alho, dente de leão, sálvia, manjerona, alfavaca, quássia.

CALMANTES OU SEDATIVAS (Exercem função calmante sobre o sistema nervoso):
– capim cidreira, maracujá, valeriana, hortelã, folha de laranja, tília, melissa, alface, Angélica sylvestris.

CARMINATIVAS (Diminuem gases estomacais ou intestinais):
– erva-doce, hortelã, camomila, poejo, Angélica sylvestris, sálvia, funcho, coentro, cominho, cardomomo, menta, anis estrelado, gengibre.

DEPURATIVAS:
Purificam o sangue, eliminando impurezas e promovendo desintoxicação.
– camomila, salsaparrilha, Angélica sylvestris, sabugueiro, cavalinha, malva, dente de leão, japecanga, ipê roxo, carqueja.

DIGESTIVAS (Favorecem a digestão):
– hortelã, camomila, boldo, quássia, raiz de genciana, sálvia, carqueja, anis estrelado, funcho, poejo.

DIURÉTICAS (Aumentam a excreção urinária):
– cavalinha, caroba, bardana (raiz), cabelo de milho, chapéu-de-couro, dente de leão, borragem, limão.

Entres os estimulantes está o chá de hortelã. Ele também ajuda no combate à febre. Foto: Divulgação

ESTIMULANTES:
Aumentam as energias das funções vitais, exercendo ação vivificante sobre os órgãos, tonificando e normalizando seu funcionamento.
– alecrim, camomila, hortelã, Angélica sylvestris, sálvia, alho, dente de leão, agrião, melissa, manjerona, aipo (completo), rabanete, alfavaca.

EXPECTORANTES:
Exercem ação especial sobre as vias aéreas ajudando a eliminar o catarro dos canais bronquiais.
– malva, tília, orégano, sálvia, violeta, pinheiros, avenca, tanchagem, alecrim, cipreste, cavalinha, alho, limão, cebola.

FEBRÍFUGAS OU ANTIPIRÉTICAS (Combatem as febres):
– sabugueiro, eucalipto, hortelã, cavalinha, tília, verbena, cabelo de milho, alfavaca, limão.

HOMOSTÁTICAS (Combatem hemorragias):
– cavalinha, visco, broto de goiaba, jambolão.

LAXATIVAS:
Estimulam o intestino, acelera o hábito intestinal, aumenta o n° de evacuações.
– semente de linhaça, ameixa preta, cáscara sagrada, zimbro, hortelã, erva-doce, capim cidreira/capim limão.

VERMIFUGAS (Anti-vermífugas):
– alho, losna, cenoura, hortelã, uva, erva de santa Maria, folha de pessegueiro, canafístula, mentruz ou mastruço, semente de abóbora, cebola crua.

DISPEPSIA (desconforto digestivo):
-quina, cardo santo, genciana, sálvia, gengibre fresco, funcho, camomila, anis estrelado, poejo, hortelã.

Para auxiliar o funcionamento do fígado, na produção da bile e de lecitina, o chá de bardana é indicado. Foto: Divulgação

FÍGADO/VESÍCULA:
Ação colerética – incrementa a produção de bile (cuidar casos de oclusão das vias biliares e estados degenerativos hepáticos).
– bardana, chicória, zedoária, sálvia (aumentar colina e lecitina).
Ação colagoga – favorece a evacuação da bile do fígado para a vesícula e desta para intestino delgado (cuidar casos de oclusão das vias biliares).
– babosa, oliveira, carqueja.

Atividade mista – colerética e colagoga.
Alcachofra, boldo, dente de leão, menta, alecrim.

Ação hepatoprotetora aos hepatócitos:
– carqueja (cuidar depleção de Ca e Mg), alcachofra, cardo-mariano.

DIABETES:
– raiz de bardana, pata de vaca, alcachofra, garra do diabo.

Não use chás para enfermidades sem acompanhamento médico ou de farmacêutico.

You may also like...

Adblock
detector