Veja como diminuir o estresse durante a gravidez | NSC Total

Veja como diminuir o estresse durante a gravidez

O dia a dia está cada vez mais cansativo, principalmente nas grandes cidades. A competitividade no mercado de trabalho, a instabilidade no emprego, o trânsito, a violência, entre muitos outros fatores, tornam a vida mais estressante.

A mulher é a que mais sofre com tudo isso. Por vezes, precisa se esforçar muito para mostrar que é tão capaz quanto os homens, além de ainda ser uma das principais responsáveis pela organização e cuidados do lar. Muitas delas ainda possuem um forte desejo de ser mãe, mas acabam não encontrando espaço em meio a toda essa correria.

Cuide da saúde antes de engravidar

Antes de engravidar, é importante que a mulher se organize muito bem para esse momento. “A futura mãe deve lembrar que vai se preparar para gerar uma vida. Com isso, é necessário que ela esteja bem de saúde”, alerta a ginecologista e obstetra Dra. Matilde Augusta Moura.

A especialista sugere que a mulher, quando estiver planejando engravidar, passe por uma avaliação completa com um médico ginecologista, para verificar as mamas , a parte ginecológica (papanicolau, pesquisa de HPV, eventuais lesões do colo e corrimentos) e saúde em geral (anemia, tireoide, colesterol e infecção urinária).

“Se a paciente estiver bem de saúde, é possível interromper o anticoncepcional por 3 meses e iniciar o uso de ácido fólico, vitamina C e vitamina E”, acrescenta a médica. Ela também enfatiza que todo casal fértil pode demorar até 6 meses para gerar uma criança, e que isso não é sinal de anomalia.

Toda essa preparação é importante para que a mulher tenha uma gestação saudável, evitando possíveis doenças que afetam o desenvolvimento do feto. Adotar hábitos de vida saudáveis e melhorar a alimentação também são medidas essenciais. Entretanto, também é muito importante que a mulher cuide da saúde mental.

Efeitos do estresse na gestação

Diversos estudos comprovam a influência das emoções e sentimentos maternos no desenvolvimento do feto. Alguns resultados mostram que o estresse durante a gravidez age sobre o desenvolvimento do feto como um fator teratogênico, ou seja, uma substância que pode afetar negativamente o desenvolvimento da criança, da mesma forma que o álcool e as drogas.

De acordo com a ginecologista e obstetra Dra. Matilde Augusta Moura, o estresse deixa o corpo em estado de alerta, com grande estímulo de adrenalina. Esse processo compromete a circulação feto/placentária, ocorrendo vasoconstrição, com a possibilidade de descolamento da placenta, o que levaria ao aborto ou parto prematuro.

“Já acompanhei várias gestantes que vinham evoluindo bem, e diante de uma situação de grande estresse o feto não desenvolveu o esperado ou o líquido [amniótico] diminuiu. Nesse caso, a paciente foi afastada do motivo do estresse e a gestação se normalizou”, exemplifica a ginecologista e obstetra. Entretanto, a especialista ressalta que essas consequências ocorrem apenas em casos de longos períodos de estresse e que fogem do controle da paciente.

Como lidar com estresse na gravidez?

A psicóloga comportamental Paula Pessoa Carvalho reitera que a ligação entre a mãe e o bebê é muito forte. Como o estresse causa diversas alterações no organismo da mãe, essas modificações também afetam o bebê, assim como qualquer sensação vivenciada pela gestante, como tristeza, felicidade, tranquilidade e nervosismo.

A especialista sugere que, se a mãe planejou a gravidez, mas não consegue se afastar dos agentes causadores do estresse, ela deve adotar algumas práticas para diminuir a intensidade dele.

“É importante tomar medidas como o descanso, pois o corpo pede essa pausa. Reserve alguns momentos de relaxamento. É importante ter uma ‘válvula de escape’ para que seu bebê não sofra esse prejuízo causado pelo estresse”, aconselha Paula Pessoa Carvalho.

Terapia e outras formas de diminuir o estresse

A terapia também pode ser uma boa opção para mulheres que estão em momentos muito estressantes da vida. De acordo com a psicóloga Claudia Nogueira, uma boa opção de terapia para as gestantes é a Cognitiva Comportamental.

“É uma terapia de enfoque breve e voltado para o problema, proporcionando o controle do estresse e mais qualidade de vida para a gestante e seu bebê”, sugere.

Ela também indica outras medidas que podem auxiliar no combate ao estresse. “Relaxamento, massagens, meditação e, principalmente, busca de uma nova forma de interpretar as situações estressantes, de novas alternativas que gerem mais conforto emocional para esse momento e, sem dúvida, acariciar, conversar e sentir o seu bebê fará muito bem para a gestante e seu filho”, garante a psicóloga.

Foque em você e no momento presente

Para aliviar um pouco do estresse, a ginecologista e obstetra Dra. Matilde Augusta Moura orienta a gestante a pensar no momento único que está vivendo e afirma que, se ela está diante de uma situação que não consegue alterar, é preciso se adaptar.

“A minha sugestão é: respire fundo três vezes e pense ‘estou no melhor momento da minha vida, um momento abençoado’. Coloque a mão na barriga, foque seu pensamento no bebê e reflita sobre algo que a deixe feliz. Isso é rápido e fácil de fazer. Retorne às suas tarefas e perceba que, quando a situação não pode ser mudada, mudamos nós e tudo acaba bem”, finaliza a médica.

You may also like...

Adblock
detector